Nesta quinta-feira, o São Paulo conseguiu arrancar um empate no fim contra o Bahia e evitou uma derrota que tornaria a situação de Fernando Diniz em seu cargo praticamente insustentável. Antes da bola rolar, o ônibus que levava a equipe foi recebido com protestos na porta do Morumbi, evidenciando o momento de tensão no Tricolor.

Para Diniz, o são-paulino não está equivocado ao manifestar sua insatisfação com o futebol apresentado pelo time dentro de campo, negando que os protestos interfiram no desempenho dos jogadores.

“Não compromete de forma nenhuma, porque a torcida tem que protestar mesmo. Nesse momento, os únicos personagens que têm razão no São Paulo são os torcedores. Eles têm que estar insatisfeitos. A gente tem que melhorar, jogar mais, ganhar jogo. A gente tem que melhorar em todos os aspectos. Então, quanto a torcida, ela tem total razão de protestar, a gente é que precisa dar retorno positivo”, afirmou o treinador.

Ao analisar o jogo, Diniz pontuou que a equipe apresentou uma queda em relação ao rendimento observado na partida contra o Vasco, no último final de semana.

“Acho que não evoluímos. Contra o Vasco, a gente fez um bom jogo, mas não adiantou muito porque não ganhamos a partida. Se precisar escolher entre jogar bem, como foi contra o Vasco,  e ganhar, vou preferir vencer. No primeiro tempo, estivemos abaixo, produzimos pouco. No segundo tempo, a gente melhorou, ficamos mais incisivos, com chance até de virar no final, mas mesmo assim a gente precisa melhorar bastante”, disse o técnico.

Por fim, Diniz deixou claro que tem consciência de que a paciência da diretoria do São Paulo com o seu trabalho não será eterna. O treinador vem sido questionado internamente por conta dos resultados e do desempenho ruins.

“Sempre tive o respaldo, desde que cheguei, no sentido das pessoas confiarem no trabalho. Garantia eterna ninguém tem. Eu não tenho nada a contestar da diretoria, desde que cheguei aqui sempre estiveram presentes e procurando fazer o melhor possível para o time. Ninguém tem garantia eterna, nem na vida, nem no futebol. A gente precisa melhorar o time e ganhar jogos, é disso que o São Paulo precisa nesse momento”, finalizou Diniz.

Com o empate, o São Paulo chegou aos quatro pontos, na 13ª colocação do campeonato. Na próxima rodada, a equipe terá pela frente o Sport, no domingo, às 19h, na Ilha do Retiro.

O post Diniz dá razão a protestos e diz sobre risco de demissão: “Garantia eterna ninguém tem” apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima