O Cruzeiro emitiu uma nota oficial nesta quarta-feira para esclarecer as recentes notícias sobre os gastos indevidos feitos por integrantes da diretoria do clube usando cartão corporativo.

Segundo o Globoesporte.com, o atual gerente de futebol, Pedro Moreira, que na época era supervisor de futebol, gastou entre 2018 e 2019 mais de R$ 20 mil em despesas “estritamente pessoais” usando o cartão, para comprar roupas, eletrodomésticos e assinar serviços de streaming na internet. Dentre os membros da alta cúpula da Raposa, ele só teve gasto inferior ao do ex-presidente Wagner Pires de Sá, que ultrapassou R$ 35 mil.

O Cruzeiro afirmou no comunicado que a compra no valor de R$ 10.004,24 feita em uma loja de roupas masculina, atribuída a Pedro, foi na realidade feita por Pires de Sá. A nota ressalta que será pedida a restituição na justiça, “uma vez que os recursos do clube nunca poderiam ter sido utilizados para vestir seu presidente”.

Quanto aos gastos com eletrodomésticos e serviços de streaming, o comunicado diz que ainda à época eles foram contestados com base em uma reclamação do próprio Pedro Moreira, que não reconheceu as compras. Concluiu-se junto ao Banco Santander que tratava-se de um caso de fraude e clonagem. O cartão foi cancelado e houve estorno parcial dos valores.

“Cabe reiterar que o clube não poupará esforços na busca pela reparação de eventuais atos lesivos que tenham sido cometidos pela gestão anterior, indo atrás das práticas que acredita serem irregulares ou ilícitas, mas que, também, não o fará de forma irresponsável ou leviana”, reforça a nota, que também disponibilizou os documentos que comprovam a compra de roupas feita pelo ex-presidente Wagner Pires de Sá, os e-mails nos quais Pedro Moreira, em setembro de 2019, solicita o cancelamento e informa a devolução do cartão, por não reconhecer diversas compras apresentadas na fatura.

Pires de Sá já esteve envolvido em uma polêmica semelhante noticiada em abril deste ano. Usando dinheiro do clube, o ex-mandatário gastou mais de R$ 75 mil em restaurantes, bares, clínica de estética e delivery de chopp entre janeiro de 2018 e dezembro de 2019, período em que ocupou o cargo de presidente.

Leia a nota do Cruzeiro na íntegra:

O Cruzeiro Esporte Clube vem a público reforçar um esclarecimento a respeito de uma notícia veiculada nesta quarta-feira, 16 de setembro de 2020, pelo portal GloboEsporte.com, na qual são citados antigos gastos feitos em um cartão corporativo que estava em nome do atual gerente de futebol do Clube, Pedro Moreira.

Conforme posicionamento do Cruzeiro na própria matéria, o Clube reforça que, após apurações internas, submetidas pelo Comitê de Compliance, que ouviu todos os envolvidos, e comprovadas por documentos disponíveis ao final desta nota, os gastos em lojas de vestuário, feitos naquele cartão corporativo, foram de responsabilidade do antigo presidente Wagner Pires de Sá, no valor de R$ 10.004,24. 

Como demonstra o Relatório de Despesas, o colaborador Benecy Queiroz apenas cumpriu sua função como subordinado, a pedido do presidente, seu superior. Tanto ele quanto Pedro Moreira foram ouvidos pelo Comitê de Compliance do Cruzeiro e confirmaram o ocorrido.

Inclusive, esses gastos serão objeto de pedido de restituição por parte do Cruzeiro, que já está preparando a medida judicial, uma vez que os recursos do Clube nunca poderiam ter sido utilizados para vestir seu presidente.

Já os valores relacionados às compras em lojas de eletrodomésticos e assinaturas de plataformas de streaming foram contestados pelo Clube à época, sob alegação de fraude e clonagem, o que foi comunicado prontamente ao Banco Santander, que procedeu ao cancelamento do cartão e o estorno parcial dos valores, em processo que se iniciou justamente após formalização da reclamação feita internamente pelo próprio colaborador Pedro Moreira aos departamentos financeiro e jurídico do Cruzeiro, através de e-mails (disponibilizados ao final desta nota), informando não reconhecer as compras.

Diante de todo o cenário, o Cruzeiro lamenta que algumas situações como esta não tenham sido apuradas de forma mais minuciosa e aprofundada pela própria Kroll em seu relatório, ou até mesmo pela reportagem do GloboEsporte.com, que mesmo diante das explicações e do posicionamento do Clube, inverteu na matéria o sujeito da pauta, que deveria ser o ex-presidente Wagner Pires de Sá.

Cabe reiterar que o Clube não poupará esforços na busca pela reparação de eventuais atos lesivos que tenham sido cometidos pela gestão anterior, indo atrás das práticas que acredita serem irregulares ou ilícitas, mas que, também, não o fará de forma irresponsável ou leviana.

O Cruzeiro aproveita, também, para reforçar sua confiança no trabalho do colaborador Pedro Moreira, que presta serviços ao Clube há mais de 15 anos, e possui currículo exemplar que inclui trabalho como supervisor do futebol de base da seleção brasileira, e formação em Educação Física pela Universidade Estadual dos Apalaches (EUA), especialização em Comércio Exterior, Negócios Internacionais e Gestão Esportiva e Administrativa pela Fundação Getúlio Vargas, e atualmente finaliza mestrado em Ciência do Esporte Global pela Universidade de Nova York (EUA).

O post Cruzeiro esclarece gastos indevidos em cartão corporativo e responsabiliza Wagner Pires de Sá apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima